domingo, 10 de novembro de 2013

Comunicado - Luciana Cavalcanti


Foi, talvez, o luar.
Ou um pouco de cada nuvem, indiscreta,                                  
na noite iluminada.
Foi, talvez, o violão do Djavan
ou os cantares do vento
pela janela meio-aberta
do automóvel na estrada...
Foi ainda aquele chopp de fim de noite.
Aquele abraço e a partilha das dores
com os camaradas...
Foi não saber dizer.
Foi acreditar que o telefone
transporta vozes,
não sentidos...
Foi uma comoção violenta!
 
- E eu que achava haver dito tudo...!
 
Mas não foi nada,
não há de ser sério,
tudo o que digo
se permaneces mudo.

Nenhum comentário: