domingo, 20 de outubro de 2013

Amar, Aymê...



O Amor é um verbo.
Fique dita, a minha infinita vontade
de repetir,
haja sol ou não,
haja brisa ou mormaço,
este discurso contínuo,
em meus atos.
Verbalize-se minha Vida:
Amo,
Amarei,
Amei.
E, amando, quantas (centenas de vezes)
me perdi...
Do Amor me perdi,
De mim, me perdi...
Da Vida que só se significa
e completa
no Verbo.
Palavra de Vida,
Deus em si,
é Verbo e Amor,
princípio,
caminho.
Amor é o que se escreve
nos rastros de nossos passos,
nos olhos das pessoas queridas,
nas lições aprendidas,
na vontade de se re-fazer.
Amor-doar,
Amor-dizer,
Amor-ser,
Amor-estar,
Amor-fazer,
Amor-tornar...
e, infinitamente, semear
Amor em Viver.

Um comentário:

Carlos Maia disse...

Lindo e verdadeiro, Lú!!!