sábado, 1 de dezembro de 2012

"À queima-roupa" - Luciana Cavalcanti

À queima-roupa:



Me responda, amigo, quem, 
entre eu e eu mesma, 
consegue mais viver sem você?
Arredar o pé de tua vida 
e arriscar não me alimentar
do teu riso, mesmo quando sério,
fonte de luz e, genuína,
alegria?!
Responda se isto é jeito
de enredar-se na vida
de alguém...!
Porque muito parece 
sem resposta, sem proposta,
sem propósito,
ou graça, ou gosto,
se não é por teu rosto
que eu abro o riso
ou a janela!
Responda, mas não carece
pressa nem precisão,
porque foi também imprecisamente
que, um dia, o coração
andou lembrando histórias
e concluiu, sem mais nem menos,
você...
Ah, e este coração, cadê?
Pregador de peça, inventor de encantos...
Delírios que eu tinha, tinha tantos...!
Mas, agora, cismei na Realidade...
E, realmente, cadê resposta 
pra mim sem você?!

Luciana Cavalcanti - "À queima-roupa"

Nenhum comentário: