domingo, 28 de outubro de 2012

"Companheiro", Luciana Cavalcanti



Numa dessas manhãs,
a Revolução chegou mais cedo...
Eu abri a janela
e tive medo de não encontrar você.
Em que esquina haveria se perdido
meu sonho?
Em quantos desencontros,
desencantos,
se ofuscara a Utopia?
Mas eu olhava em teus olhos
e via Zapata, eu via Guevara,
Marcos, del Pueblo,
e via Sandino...
Olhava em teus olhos
e via um menino
re-inventando revoluções.
Em tuas (nossas!) bandeiras,
um Novo Mundo, eu via!
E invadia-nos os ouvidos
sirenes de alerta,
hinos de nova guerra,
mas como se fossem canções de Amor!


"Companheiro", Luciana Cavalcanti
Várzea do Capibaribe, Junho de 2003.

Nenhum comentário: