sexta-feira, 4 de maio de 2012

"Janelas", Luciana Cavalcanti.




Abri a janela, para que a luz entrasse...
Algo em mim disse ainda
que a luz era pouca.
Sai para as ruas, abrindo sorrisos
a quem quer que fosse...
e a luz, em mim, dizia que ainda
mais poderia mostrar-se.
Abri, para tanto, livros:
poesia, contos, rotas
de quem quer saber.
Soube. E abri caminhos.
Deixei que entrassem sonhos, ventos,
flores, dores, dúvidas...
Abri a janela. E é manhã!
Que com ela, eu me abra ao hoje
e ao que sou!


Recife, Várzea do Capibaribe, 04 de Maio de 2012.
"Janelas", Luciana Cavalcanti.

Nenhum comentário: