segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Casa de Poesia - Luciana Cavalcanti



Poesia não é,
nem foi ou será,
propriedade da Palavra.
Poesia pode vir palavra por palavra,
palavra após palavra...
ou pode calar.
Basta reparar nos enamorados:
como aprendem silêncios...!
- além d'outras formas de Comunicação.
Palavra é que é metida a besta,
muito embora, infeliz de quem careça
de palavras para ser poeta!
A palavra nem sempre se ajeita no verso
e verso desajeitado tampouco faz Poesia.
Mas, veja:
o olhar de uma mãe que amamenta,
a ternura da pequenina mão de um bebê
descobrindo a magia do carinho-feito...
Mil e uma vezes o sol se põe,
mil e uma vezes enamorados se olham,
mil e um beijos de amor nos despertam 
sonhos e alma...
mil e uma vezes choramos de alegria.
E em tudo isto, cada dia, o que há
em nós e no Mundo (ao redor)
não há que ser outra coisa:
é Poesia!

2 comentários:

Diogo Didier disse...

Perfeito!

A poesia não está limitada a versos eruditos ou rimas cristalizadas, mas se manifesta nas singelezas da vida, na contemplação dela, no seu caminhar...

Lemos, comemos, respiramos, pensamos e convivemos com poesia a todo instante, basta apenas aguçar os sentidos e perceber a existência dela na nossa vida.,

Bjoxxxxxxxxxx querida!

Fred Caju disse...

É isso aí! Palavra é só um meio, não o meio.