quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Rascunhos de Ano Novo - Luciana Cavalcanti



Vou confiar menos nesta gente que não sabe, 
não tem, um avô de quem sentir saudade.
Vou me dar menos a quem não conhece a graça
de perder tempo com tudo e com absolutamente nada!
Vou levar mais chuva - e gripar menos.
Vou cortar mais o cabelo, fazendo experiências...
E vou penteá-lo menos com os pentes e mais com as mãos...
Vou passar mais as mãos nos cabelos - já raros - 
de minha mãe.
Vou assistir mais futebol com o meu pai...
e discutir menos futebol com meu vizinho.
Vou ser feliz a partir da segunda-feira
e aumentar a dose na sexta!
Vou quebrar regras!
E vou quebrar a cara outra vez!
Vou me sentir mais jovem...
Vou fazer exercícios...
Vou mudar de humor 
e não admitir tristeza absoluta
nem em caso de enterro de parente próximo.
Vou sacudir a poeira.
Vou dar a volta por cima.
Mas nem me fale em emagrecer...!
Ando querendo volume
em certas partes da geografia do corpo
que nos fazem sentir mais brasileiras
e - por que não?! - gostosas.
Não vou acender um só cigarro...
Mas isto nem é promessa,
de Ano Novo, menos ainda!
Vou encontrar um novo Amor...
Talvez, no mesmo e velho Amor!
E vou fazer melhor, depois.
Vou catar poesia no lixo!
O Consumismo anda desperdiçando corações
que é um absurdo!
Vou aprender a falar uma nova língua...
Talvez, uma língua que nunca se embarace 
pra dizer "te amo".
Vou tomar cuidado. E menos café.
Não vou comprar um carro.
E vou andar ainda mais a pé!
Vou brigar com o jornal
ao invés de tentar entendê-lo
- que esta mania anda me envelhecendo.
Vou dizer mais bobagens e mais coisas sérias.
Vou escrever mais poesia.
Vou re-ler Neruda. Vou ouvir mais Vinícius.
Vou beber menos. E poupar mais!
Vou renovar todas estas promessas
no ano seguinte...

Nenhum comentário: