domingo, 28 de agosto de 2011

Cultivos...



Sabe? Este ofício de poeta? Descobrir nas sombras a possibilidade de trazer à luz um semeador de estrelas? Sabe este gesto, sempre inconcluso, sempre delicado apesar de visceral de sentir fundo? E, sobretudo, de sentir em tudo? Não é fácil lida. Como não é fácil a vida quando se a deseja Vida. Porque uma coisa é ter corpo vivo, ser vivente, outra coisa, delicadíssima coisa, é fazer-se gente.

Nenhum comentário: