quarta-feira, 9 de março de 2011

Disto e Daquilo...


E, poeta, tendo experienciado o desaprendizado do Amor
pensa, talvez, na possibilidade lúdica e lúcida de reinventar tudo, outra vez.
Em bases seguras, tomar duas mãos para o salto.
A estrepolia de um coração que sabe manter-se em estado permanente de carnaval.
Decidiu não morrer de velha...

Nenhum comentário: