quarta-feira, 28 de julho de 2010

Poema de Chão - Luciana Cavalcanti


Para entender o chão há que se ter cuidado.
Caminhante que sabe o quanto, ao fazer caminhos,
o caminho lhe re-faz, pisa delicado,
não vai com pressa,
aprende a olhar...
Para entender o chão é preciso entender os cheiros,
esperar chuvas, atentar-se aos ventos.
Não é questão de Geografia ou Geologia...
O chão é sempre isto, mas é sempre mais.
Nunca vi chão alheio à sua gente!
O chão sabe sangrar, se maltratado,
sabe gritar, gemer, revidar.
No entanto, há gente alheia ao seu chão.
Ou não sabe aonde pisa
ou endoideceu de achar que nuvem é estrada...
Mas nuvem também respeita o chão,
por isso chove
ou se move pra enxarcar o chão d'outro lugar.

Nenhum comentário: