segunda-feira, 21 de junho de 2010

Tempo demais...



um pouco mais de tempo
e será incontável a espera
por luzes sobre as flores,
por musgo e relva
a insistir vivamente
nos caminhos...
um pouco mais de tempo
e parecerão ínfimos
esses poucos anos
entre o riso e o assombro.
hoje, no entanto,
amanheci
e isto basta para que eu veja
todas as flores, todas as cores,
aqui presentes.
tudo pulsa. E aí é quando
um pouco mais de tempo
é sempre infinito.

Nenhum comentário: