terça-feira, 29 de junho de 2010

Poema da inteireza





O Ser, parte à parte,
é sempre inteiro.
Alma, que é luzeiro,
sem o corpo não se acende.

Ninguém de nós se entende
em partes ou parcialmente,
dor e graça que se sente
é sempre verdade inteira.

A Vida, verdade verdadeira,
sempre ensina e não se repete.
Ninguém a gigante se mete
quando experimenta sua fundura.

Nisto, o segredo da cura
do Ser, em espírito e matéria,
nossa realidade etérea
revela-se em carne e osso...

Por isso, cada esforço,
deve servir ao não ser parte,
encontrar-se com riso e arte,
em tudo, sempre inteiro.




luciana cavalcanti..................... 20 de maio de 2010

[aprendente do cuidado de mim para comigo e a Vida, rabisquei um poema pra não reclamar da dor sentida. o poema é parte das lições, aprendidas e vividas cotidianamente, no processo de recuperação, na Fisioterapia. não é de verso largo, como seria justo, mediante minha gratidão, mas é honesto e límpido. nele, reverberem o respeito e o carinho por Augusta, Felipe e Kátia. não há bem maior que sentir-se bem...!]

Nenhum comentário: