domingo, 6 de junho de 2010

E tem também o poema de minha afilhada...!



Bem-Vinda

à Ana Luiza

Imaginar-te o riso
não é o mesmo que te ver rir...
Imaginar a suavidade de tuas pequenas mãos
não é o mesmo que engrandecer minha ternura
ao segurar-te a mãozinha e pensar
no cuidado,
na responsabilidade,
com que devemos tratar do Mundo
e de todas as coisas
para que os dias de tua infância
sejam cheios de luz e cor...
Ter saudades de ti
sem nunca ter olhado
em teu olhar que 'inda se abre
e descobre um mundo
é descobrir-me a mim:
amando antes do gesto,
cuidando antes do encontro,
esperando enquanto sou
e sendo enquanto espero...
E toda esta espera,
esta esperança,
é já amor.
Amo-te, Bem-vinda,
porque a tua Vida
explodiu em tempo
de lembrar-me que o amor
se faz carne,
re-inventa o tempo,
e zomba
- em explosões infinitas de vida! -
da força da dor... 


Luciana Cavalcanti
Recife, Várzea do Capibaribe, 17 de Abril de 2010.

Nenhum comentário: