sábado, 1 de maio de 2010

Ir e Vir - Luciana Cavalcanti



A mala ainda não desfeita
e um coração que não se ajeita
porque hoje é sempre
a véspera de ir embora.

E, nesta roda, de girar incessante,
onde se perde e ganha
a cada brevíssimo instante
há que se cuidar de si
para não entontecer.

E permacer, então,
de olhos abertos
para encarar de frente a Vida
e ler em seus lábios silenciados
a expectativa de amor...

Neste mundo-grande,
milhões serão os passos,
não a buscar,
mas a percorrer já
os nossos sonhos
porque tudo, estrada,
poeira, poentes e pontes,
nuvens, nascentes e rio,
pinta um só painel
na tela das retinas
e é menina a tua vida
se descobrindo 
e acolhendo mulher.



Luciana Cavalcanti
Setembro de 2009.

Nenhum comentário: