segunda-feira, 19 de abril de 2010

Ser pai. Ser mãe. Ser filho e filha. Ser!

-"Agora vou contar-te um segredo: Nós só podemos ver perfeitamente com o coração; o que é essencial é invisível aos olhos. Os homens têm esquecido esta verdade. Mas tu não deve esquecê-la. Tu tornas-te eternamente responsável por tudo aquilo que cativas."
 
 
Hoje, li no blog de Marcella (o Veleiro de Cristal), um dos trechos mais belos da literatura mundial: o diálogo entre o pequeno príncipe e a raposa sobre o "cativar"... Marcella falava da chegada e de toda a bagunça que isto faz em nossos corações de uma nova vida, a vida de Ana Luiza. 
Engraçado! Lembrei-me de Michel, amigo "por tabela" e, hoje, muito amado, e de seu amadurecimento e transformação desde que soube que iria ser pai...
Ontem à noite, Michel me ligou duas vezes: uma para dizer que Kelly estava em trabalho de parto, outra para dizer (a voz trêmula, emocionada) que Miguel havia nascido! 
A gente aprende a ser "pais" e "mães", eu acredito... assim como aprendemos a vida inteira a ser filhos e filhas.
É um pouco do cativar... o começo, talvez...
Mas em cada encontro, com cada pessoa que acolhemos em nossas vidas, devemos aprender a cativar e ser cativados. O amor é nossa vocação infinita. Aliás, o amor nos torna infinitos...
 


IMAGEM: Álbum de família... Papai e eu.

Nenhum comentário: