quarta-feira, 14 de abril de 2010

O braço direito. O braço esquerdo.

 

Há quem fale, quando se quer destacar a importância de alguém e  de sua imprescindível ajuda, que este alguém é seu "braço direito"... Não reclamo do meu braço direito. Gosto muito dele. Ele aqui está... digitando este texto.
No entanto, imprenscindível e de uma ajuda inestimável e inesquecível, tenho o meu braço esquerdo. Sem figuras de linguagem. Não há metáfora aqui... Ao contrário, há uma cicatriz que testemunha o amor de Deus por mim, a vontade da Vida de que eu, aqui, permanecesse para honrá-la e viver ainda o que me cabe marcando o meu braço esquerdo.
Meu braço esquerdo é, agora, carinhosamente chamado de "Herói". Ele foi braço de Deus, força da Vida, impedindo o impacto da cabeça contra as ferragens retorcidas do automóvel e o poste que destruiu o carro e feriu-me naquele 14 de fevereiro...
Meu braço esquerdo, por instinto e por Graça - sim! Deus e natureza estão em comunhão, Criador e Criação -, protegeu a cabeça na hora do acidente.
Por instinto e por Graça, meu corpo preservou-se como soube e pode...
E hoje dou Graças à Vida que permanece comigo e em mim, pulsante e bela, convidando-me a re-descobrir um Mundo que continua a girar desde o último domingo de Carnaval!

2 comentários:

Wires disse...

Cada vez mais te admiro, viu?
Bjos!!

Luciana Amâncio disse...

Valeu, Wires!
Mas admiráveis mesmo são o Criador e a Criação!
A nós cabe a humildade e ousadia de sermos co-criadores, cuidando da obra de Deus e preservando-a bela e forte... Na Educação, temos destacadamente esta missão: na Humanização.

PAZ E BEM!
Axé!