quinta-feira, 18 de março de 2010

Eles, os poemas...


Ela, que já me olhava há muito tempo, sem que eu o percebesse, retirou-me dos devaneios com a pergunta:
- Tia Lú, no que é que você tá pensando?
- Estou pensando em escrever um poema, Júlia - respondi, entre a surpresa e a necessidade de explicar coisas às crianças...
- E escrever um poema é bom ou ruim?
- É bom, Júlia... Escrever um poema é bom!
- E, então, Tia Lú... se é bom, por que você tá triste?!?
- Estou chamando o poema, que é bom, Júlia, por isso... pra ele não deixar mais eu ficar triste!
- Ah, então, o poema é alegre?
- Nem todos os poemas são alegres... alguns são tristes, mas, quando eles vem, ajudam o coração da gente porque são bonitos...
Frustrava-me com minha incapacidade de explicar poesia a uma criança, quando Júlia saltou da cadeira e correu a uma mesa próxima, arrancando a rosa mais bonita de um arranjo que a ornamentava... Rosa na mão, ela voltou.
- Toma a rosa, Tia Lú, ela é bonita... vai ajudar o poema que 'cê tá chamando...!
E correu a ir brincar com outras crianças...





------------------------------------------------
Diálogo acontecido no dia do casamento de Lygia e Hugo com Julinha, filha de Manú...

4 comentários:

Ana Karla disse...

Que bonitinho...
As crianças sabem das coisas...

Anônimo disse...

Nossa Lú!! Que coisa mais linda esse diálogo... Eu nem fazia ideia de que vcs tinham travado naquele dia esse papo!! Tô emocionada com a pergunta q/ ela fez e com o fato de você lembrar esse momento tôa singelo. Beijão!

Anônimo disse...

Nossa Lú!! Que coisa mais linda esse diálogo... Eu nem fazia ideia de que vcs tinham travado naquele dia esse papo!! Tô emocionada com a pergunta q/ ela fez e com o fato de você lembrar esse momento tão singelo. Beijão!

Luciana Amâncio disse...

Pois é, Manu... tua filha me "pediu" que eu explicasse poesia a ela e ela foi quem me explicou... Júlia é linda! Também, com uma mãe dessas...! rsrsrsrs

Xero, Amiga!