segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Da Teoria à Práxis!!!

Teorias


Entre livrarias e bancas de revistas
consomes teu tempo
e jamais lês os volumes que preenchem teu armário.

E passas horas pensando,
meditando,
planejando...
estás sempre cansado no momento da ação.

Teu amor infinito,
que povoa teus sonhos,
inunda-te a alma,
abrasa-te o corpo,
nunca seguiu adiante,
temeroso – sempre – pára ante o olhar que te fascina.

És belo e profundo.
Mas és sonho...
E a vida segue só (tão vazia e necessitada de ti!),
Enquanto dormes!


***

Máscaras (do sonho?)

Teus inúmeros projetos,
Teus sonhos e versos,
Acaso já pensastes em trazê-los à vida?

Teu Discurso e tua filosofia,
E ideais, e certezas
Por que jamais estiveram em tua boca?

Tua tamanha ousadia possui apenas um limite:
Tornar real o que pensas,
O que sabes,
O que és...



- E eu já não vejo a Hora... Oooô, hora!!!

Poesia adentro...

Concepção


Meus livros,
Meus filhos,
Possuem um nome, um jeito, um rosto,
Antes mesmo de existirem.

Antes de serem, já são.
Gosto de sonhá-los,
De trazê-los à minha casa.
E, quando estou só,
Quando estou triste,
Falam-me por horas e horas,
Abrem-se para mim.

Meus livros
E meus filhos
Não sei como virão,
Não sei quando serão
De fato, de tato.

Não me perturbo
Em perguntar quantas horas,
Quantas dores serão
Até que vivam além de mim.

Gosto de amá-los. De pensá-los.
Meus livros, filhos.
Antes de serem, são.
De mim, fruto e semente,
O que é gerado e geração...
(Luciana Cavalcanti, 1998/99)