segunda-feira, 2 de novembro de 2009

De papel. E tinta!

I


Sonho romântico,
tingi um novo amor
com nenhuma outra função
a não ser 
a de ser sempre,
a cada dia,
um sonho...


II


Inventei o amor
de outra maneira.
Este, não exige encontro,
não reclama atrasos,
não me causa ciúmes
e, sobretudo, não acabará...
Nele acredito
e está comigo, bem guardado.
Amor inventado,
consciente,
não reclama nem quarentena
se eu o esquecer na gaveta.

[Luciana Cavalcanti - Poema sem data]

Nenhum comentário: