domingo, 28 de setembro de 2008

O sábio
(1998, Recife)


Em vão esperas.
Ninguém te responderá.
Ninguém sabe.
E todos se perguntam:
“ O quê? Quando? Como? Onde? Por quê?”
E tu?
Tu também não sabes...
E finges calma, tranqüilidade.
Nada sabes.
Em vão buscas ciência,
Em vão sabedoria.
Enquanto isso, ao teu redor,
Ninguém se cala:
“Onde? Quando? Por quê? Como? O quê?”
E tu, já angustiado,
Gritas agora, e cada vez mais alto:
“Eu sei! Eu sei!”
Não sabes.
Mas finges saber...
E evitas o teu silêncio.
Por quê?

Nenhum comentário: