segunda-feira, 17 de março de 2008

Móvel

para guardar as horas
em que te demoras
em não me entender

para guardar o tédio
e os frascos de remédio
do que remediado está
pela inexistência de cura...

seis gavetas de procura,
quatro portas,
prateleiras,
e a transparência do vidro
para guardar meu silêncio ausente
e aquela caneca entontecida
de generosidades a fazer
quando eu quero e sei beber a vida
para dormir descansada de mim.

para guardar teu nome
na agenda do ano que vem
e um pequeno álbum de fotografias
a revelar os dias
que não tivemos para nós.

algumas dezenas de livros.
recortes de jornais antigos,
cadernos de poemas
e uma lista de dilemas,
dúvidas e dívidas
de um amor mal-encerrado,
dobraduras de papel passado,
ingressos de cinema
feitos marca-texto,
pedras de peso de papel
e algumas canetas sem tinta.

para guardar as canções nos discos
minhas decisões e meus riscos
e um filme que eu vi
mil e uma vezes
(mas não me cansa)
blocos de notas que acendam a lembrança
e borrachas que apaguem meu próximo erro

outro armário...
para arrumar o quarto
e pensar o mundo
para respirar suave e fundo
para, em tudo organizado,
eu me guardar com cuidado
e não perder fácil as chances
de ir adiante.


(dezembro de 2007)

2 comentários:

Monica disse...

Que lindo Lu...
A de baixo tbm é marvilhosa!
Aff...
Bjssss

Monica disse...

Atualiza, mulher!
Bjssssssss