terça-feira, 18 de setembro de 2007

...no mote de Drummond (?)

Ah, e como há de ficar
chato ser Pós-moderno,
desde agora, externo
um peito que não me antecede
nem me suscede...

Peito devir. Move-se. E não fica.

Na contratendência da moda
- ah, como incomoda! -,
levei a sério um "quê" retrô,
sem romantismo,
sem materialismo,
com pimenta
e com vontade
provar sabores,
ousar saberes...

E se, por descuido, um caos
de mim espalhado na rua
re-vela-me pós-moderna,
não me furtarei...
-"Não furtarás!", disse Deus
a Moisés. Não me furto!
Estarei presente.
Sonharei futuros.
Lembrarei
(às vezes, pra que se esqueça!)
o passado.

Mas Eterno é longo e grande.
Fico em movimento...
Aberta ao mundo
E terna...