segunda-feira, 26 de março de 2007

Porque trazes céus nos olhos...













alimento-me de teus olhos.
não me olhes
sem trazer estrelas

em teu firmamento claro...
eu sei o Céu em ti.
amanheço à meia-noite
porque teus olhos conduzem luz.


antecipo as chuvas,
traço rotas
e, então, suspeito que descendes
(diretamente)
da magnitude dos oceanos.


embriago-me com teus olhos.
não baixes a vista
sem que eu me tenha impregnado de ti,
sem que eu me tenha encharcado
de mar ou de mel...


navegante de céus,
descobri teus olhos como planetário,
investigo a luz em tuas retinas...
não me olhes
sem que inventemos
sete luas,
mil explosões de estrelas.





[Recife, 25 de março de 2007. poema (ainda) sem título]

3 comentários:

Ana Maria disse...

"navegante de céus,
descobri teus olhos como planetário,
investigo a luz em tuas retinas...
não me olhes
sem que inventemos
sete luas,
mil explosões de estrelas."

Depois disso que li o que mais comentar?!

Só que tu és dom...

Bjocas,Lua!
Adoro-te!

sub-20 disse...

"embriago-me com teus olhos.
não baixes a vista
sem que eu me tenha impregnado de ti,
sem que eu me tenha encharcado
de mar ou de mel..."

mar...
mel...
eita...os dois sao bons!
os dois sao bonitos...
e quando se tem os dois num so?
melhor ainda...

poema perfeito...

Lidia disse...

Minha mãe já dizia que os olhos são o espelho da alma...
Eh uma profundidade ímpar falar dos olhos, mas nãos aqueles que vêem o mundo, mas aqules capazes de enxergar a luz, de ser luz...
Luciana é uma pessoa dotada de um dom dado por Deus, o dom de traduzir pensamentos filosóficos em palavras... habilidade que não alcança a todos, mas que privilegia quem lê.
Parabéns menina risonha!!!
=]
Deus te abençoe, viu?!

Xero